Warning: The magic method MchGdbcBasePublicPlugin::__wakeup() must have public visibility in /home/u336404192/domains/lorensonline.com.br/public_html/wp-content/plugins/goodbye-captcha/includes/plugin/MchGdbcBasePublicPlugin.php on line 44
Reciclagem química e energética: o que são? - Loren's Suportes

Por ser um material muito utilizado para a fabricação de produtos dos mais diversos, é de extrema importância que o plástico seja reciclado sempre que possível. Afinal de contas, caso não seja, o resultado pode ser catastrófico para o futuro do meio ambiente e, consequentemente, da humanidade.

A reciclagem do plástico é um assunto tão relevante que nós já falamos a respeito dela em outro texto, explicando em detalhes por que ela é tão importante e como é feita. No entanto, o assunto que tratamos na ocasião foi apenas um dos tipos de reciclagem de plástico.

Por mais que a reciclagem mecânica seja a mais comum, há outros métodos de reaproveitar plástico descartado — os quais chamamos de reciclagem química e reciclagem energética. Neste texto, a Lorens explica como cada uma delas funciona.

Para, enfim, saber tudo sobre reciclagem de plástico, continue a leitura abaixo!

 

Diferentes tipos de reciclagem de plástico

Na reciclagem mecânica, aquela que já tratamos anteriormente, o material é recolhido e triturado em pequenos grânulos. Depois, este plástico granulado é utilizado para fabricar produtos como sacos de lixo, mangueiras, embalagens não-alimentícias e até mesmo peças de automóveis.

Esta, por ser a possibilidade mais fácil, é também a mais comum no Brasil. Mas não se engane; é possível ir muito além na reciclagem de plástico, como você acompanha na sequência.

reciclagem energética

 

Reciclagem química

Começamos com a reciclagem química. Nela, os polímeros são quebrados, sendo transformados em monômeros ou misturas de hidrocarbonetos. Com isso, eles podem se tornar insumos químicos, combustíveis ou matéria-prima para a fabricação de outros produtos plásticos.

A reciclagem química pode ser feita de diferentes maneiras, com uso de oxigênio, calor, metano, água, entre outros. Os diferentes processos que podem ser utilizados chamam-se hidrogenação, gaseificação, pirólise e quimólise.

Após a reciclagem química, o que se obtém é um produto muito próximo do plástico virgem. Para deixá-lo ainda mais puro, é comum que os monômeros sejam purificados e passem por mais uma polimerização.

Isso faz com que seja possível fabricar produtos com a mesma qualidade de um original — fazendo a reciclagem química ser a mais eficiente entre todas as alternativas de reciclagem de plásticos.

 

Reciclagem energética

Você sabia que 1 kg de plástico tem o mesmo poder calorífico de 1 litro de óleo diesel? É seguro dizer que plástico é energia — e é exatamente com o objetivo de recuperar a energia contida no plástico que a reciclagem energética é realizada.

O processo é simples de entender. Basicamente, o plástico é utilizado como combustível para gerar energia elétrica. O único problema aqui é que a queima do plástico reduz seu volume em até 90%, fazendo com que a solução não valha a pena.

Some isso ao fato de a energia química ser complexa e fica fácil de entender por que a reciclagem mecânica é a mais utilizada no Brasil.

 

E você, já tinha ouvido falar na existência de mais de um tipo de reciclagem de plástico? Gostou de conhecer a reciclagem química e a reciclagem energética? Caso queira continuar recebendo nosso conteúdo, é só seguir a Lorens no Instagram!